Receba nossa newsletter:

Notícias

07/12/2016

Guia de finanças de Natal: aproveite as festas sem acumular dívidas

Sem dúvida estar controlado financeiramente é um dos requisitos básicos para uma tranquilidade pessoal e familiar neste período. A educação financeira vem sendo a grande responsável pelo resgate da qualidade de vida das pessoas; ela tem que sempre estar presente na vida das pessoas. Para o fim de ano o planejamento financeiro é mais importante ainda, pois é uma época de muitos gastos extras. Assim, a pessoa que já projetou durante o ano os gastos que terá para as comemorações de férias, Natal e Ano-Novo com certeza aproveitará muito melhor o momento e o pós- festas, pois não terá que pagar a conta com um dinheiro que não tem.
13º salário
Endividados
O primeiro passo é uma análise detalhada da situação financeira atual, examinando como estão as finanças e para onde está indo o dinheiro recebido. A partir disso, é possível saber em qual situação se está enquadrado: endividado, sem dívidas ou investidor. E as ações dependerão de como se encontra. Entre os endividados, o primeiro passo é saber exatamente o que se deve e para quem. A prioridade para resoluções deve ser para as dívidas que possuem juros maiores, normalmente cheque especial e cartão de crédito. Entretanto, nem sempre se deve quitar essas contas de imediato. Antes mesmo de receber a primeira parcela do 13º salário, a pessoa endividada deve tentar negociar com o gerente do banco ou com a gerenciadora de seu cartão um alongamento dessa dívida com taxas mais baixas, no máximo 2,5% ao mês, e dividir o valor que recebeu, com parte direcionada ao abatimento dessas dívidas e o restante para aplicação, o que permitirá uma maior estabilidade financeira.
Sem dívidas
A segunda opção de utilização do 13º é destinada aos consumidores equilibrados financeiramente, os que não possuem dívidas, mas que também não poupam. Essa é uma classe que muito me preocupa, pois essa suposta estabilidade esconde uma armadilha: na primeira necessidade de um gasto maior ou em um impulso irresponsável, a situação se alterará, fazendo com que a pessoa passe para o status de endividado. Para que isso não ocorra, uma boa opção é a de iniciar uma reserva, mas esta tem que ter um objetivo ou sonho a ser realizado. O trabalhador deve destinar ao menos uma parcela do 13º salário para iniciar esse processo. O mais importante para esse público, contudo, é criar o hábito de poupar para conquistar algo que realmente deseja: pode ser uma casa, um carro, uma viagem, um curso de especialização, dentre diversas outras coisas.
Investidor
O terceiro perfil é aquele que já pode ser qualificado como investidor, mesmo que pequeno. É importante frisar que não existe idade para começar a guardar dinheiro, nem para realizar sonhos. A opção mais indicada para utilizar o 13º, claro, é continuar investindo, mas é importante, como dito anteriormente, que se tenha um objetivo. Caso isso não ocorra, esses valores investidos serão alvos fáceis para exposições publicitárias, já que dinheiro sem objetivo é dinheiro perdido. E facilmente acontecerá o descontrole das finanças. O dinheiro extra na economia com certeza é muito positivo e, se utilizado de maneira coerente, com educação financeira, fará com que o futuro seja muito melhor.
Economize em pequenas coisas no dia a dia
Faz total diferença. Quando falamos de gastos, é preciso saber que um dos grandes responsáveis pelo descontrole financeiro no Brasil e no mundo são os pequenos, pois são esses que normalmente não estão em nenhum controle financeiro nem em planilha; eles são um dos principais “ralos” por onde escoa o dinheiro das pessoas. Para se ter uma ideia, se uma pessoa gastar 30 reais nos finais de semana, em 30 anos, corrigidos pela poupança, terá gasto aproximadamente trezentos mil reais. O dinheiro precisa ser respeitado e não aceita desaforo. Portanto, muito cuidado com pequenos gastos!
Presentes de Natal
É preciso que as famílias façam reuniões periódicas para melhor compreender sobre o que o dinheiro representa em nossa vida. Dentro disso tem que se ter em mente que, quando se fecha um ciclo, é necessário iniciar outro. Assim, desde o início do ano deve-se fazer uma reunião com a família e falar sobre o tema, criar uma reserva de curto prazo para esse objetivo e também estabelecer os objetivos, isto é, presentes. Posteriormente, em novembro ou outubro, essas metas podem ser revistas, pois em nossa sociedade de consumo as prioridades mudam muito frequentemente. Sempre lembrando que é necessário debate e também que a decisão seja em conjunto.
A vida é feita de escolhas e, como tudo na vida, as nossas decisões de hoje definem o nosso amanhã. Portanto dizer não a algo para o qual não se tem condições financeiras ou mesmo que se acredite que não será agradável é plenamente aceitável. Se respeitarem os limites financeiros, reservarem dinheiro para os sonhos, as pessoas serão muito mais felizes. Mas também é importante fazer uma análise sobre a importância ou não de participar desses eventos, colocando na balança os prós e contras, e só então tomar a decisão.
Compre com antecedência
Sem dúvida, quando conseguimos mais tempo para realizar qualquer tarefa, é bem provável que a qualidade realizada seja mais promissora. Compras para compromissos já previstos, como o presente de Natal, aniversários e datas como Dia das Crianças, das Mães, Pais, sempre têm melhor resultado com um período maior para planejamento. O tempo nesse caso servirá para realizar uma boa pesquisa do produto, seja na internet ou presencial. Também é importante registrar que na loja a pessoa deverá dialogar com o vendedor, solicitar condições melhores.
Planejamento de viagens
Na hora de viajar é necessário pleitear o melhor lugar, o menor preço e as melhores condições. Também é necessário que se pense no pós, ou seja, é muito comum as pessoas se programarem para viajar, mas acabam não se planejando no retorno e daí se endividam. Para isso sugiro que, quando programar viajar, a pessoa estabeleça pelo menos 40% a mais de gastos no total para ser investido. Isso porque, quando estiver viajando, as oportunidades e eventualidades podem gerar gastos que não foram previstos e daí acaba-se utilizando os meios de compra e consumo, como cartão de crédito, limites de cheque especial.
Festeje o Natal sem dívidas
É preciso saber, antes de qualquer coisa, o quanto se tem disponível de dinheiro no orçamento financeiro, quantas pessoas convidar, e desses números estabelecer o que se pretende fazer, podendo ser uma ceia moderada de acordo com as possibilidades. É preciso respeitar o padrão de vida, para não ser mais uma pessoa desequilibrada ou endividada. Estar bem financeiramente é uma questão de escolha, portanto invistam na educação financeira. Boas festas e um ano-novo repleto de muita saúde física, mental, espiritual e financeira.

Mais notícias

Atendimento

Segunda à sexta: 08h30 as 18h Sábado: horário marcado

Blumenau

Rua Goiás, 386, Garcia, Próx. à Souza Cruz
WhatsApp: 47 9 8438 3552
47 3037 7929

Itajaí

Rua Cônego Thomaz Fontes, 182, Próx. Shopping
WhatsApp: 47 9 8434-1134
47 3348 3565

Joinville

Rua 3 de Maio, 150, Próx. ao Museu da Imigração
WhatsApp: 47 9 8434 1131
47 3025 6969

Rio do Sul

Rua XV de Novembro, 303, Galeria do Cinema
WhatsApp: 47 9 8484 9294
47 3522 1010
LiveZilla Live Help